Com exceção dos liberteens, por que na primeira oportunidade eles correm pra defender político e na primeira oportunidade eles te atacam de forma irracional quando você discorda deles, tirando os liberteens, vou falar uma coisa pra vocês aqui: em minha opinião os libertários e os anarcocapitalistas são o grupo mais coerente, mais respeitoso, mais amadurecido, mais inteligente (emocionalmente inclusive) e mais consciente que existe na internet, e não apenas na internet, como também fora dela.
O que é estranho, pois quando eu fazia parte de grupos conservadores cristãos de direita o que eu mais via era gente desonesta, gente querendo prejudicar os outros, destruir a reputação dos outros, gente que não gostava de ajudar os outros, gente invejosa, gente que adorava pular a cerca, gente passivo-agressiva, mas também tinham aqueles que eram autoritários também, enfim, se consideravam cristãos conservadores, mas faziam Jesus se contorcer no "túmulo", e a maioria nem era cristã praticante. E eu não fazia parte apenas de grupos da internet não, já participei até de reuniões entre monarquistas parlamentaristas.

Agora o grupo mais preconceituoso, mas como eu não gosto de usar essa palavra, então vou usar a palavra correta: o grupo mais discriminatório que existe, o grupo mais agressivo, o grupo mais perigoso, o grupo mais psicopata, o grupo mais descontrolado, o menos inteligente, o mais animalesco, é justamente o grupo da lacração, e não me refiro apenas aos esquerdistas declarados, falo dos simpatizantes também. Tipo aqueles caras baladeiros que malham beijando os músculos na frente do espelho e depois ficam fazendo de tudo pra ganhar aprovação das "massas" no Instagram: os vendidos.
Digo isso por que gosto muito de malhar, antes da ditadura do lockdown eu passava horas na academia (levando o treino a sério) e via de tudo ali, inclusive tinha um sujeito que volta e meia "gritava" (falando alto) com os outros discutindo política e falando de Bolsonaro, já chegou a discutir comigo por que discordei da idolatria que ele estava fazendo pra cima do Drauzio Varella e demonização que estava fazendo pra cima do Lair Ribeiro.

Já o grupo mais perigoso do ponto de vista político são os liberais, pois eles disfarçam a loucura política deles com educação. O liberal é aquele cara que fala "Eu vou educadamente te explicar as políticas que usarei pra te matar com uma morte bem lenta, gradualista". Enquanto que pra entender o discurso marxista você precisa entender de dialética e falácias, para entender o discurso liberal, além de entender de dialética e falácias, é preciso também entender de praxeologia, pois esse grupo é o que mais "encanta" o gado, principalmente o gado empresarial. Você não vê como o Peter do ANCAP.MU leva tanta gente na conversa? Que tal o Rafael Lima? Você pensa que a pessoa está falando umas verdades, mas sempre tem um sofisma no meio da conversa.

Eu só vejo dois defeitos na comunidade libertária/ancap, é o vício em conteúdo adulto. Cara, isso acaba com o seu cérebro, causa depressão, síndrome do pânico e ainda te deixa sem energia pra fazer as coisas mais básicas do dia-a-dia, sai dessa. Veja este artigo: Como o vício em pornografia destrói seu cérebro e porque você deve consertá-lo IMEDIATAMENTE

Acredito também que os grupos libertários deveriam buscar criar uma moral pautada em valores espirituais, por que embora sejam pessoas boas, não costumam ser muito unidos. Como assim? São desorganizados. Veja bem, o que a direita e a esquerda tem de ponto positivo é que eles são unidos, principalmente a esquerda, pois quando eles querem combater algo, eles se juntam e vão pra cima. Não estou elogiando a causa e sim o ato. Os libertários e os ANCAPS deveriam arranjar uma forma de se unirem para defenderem o direito de propriedade, mas sem coletivismo, sem criarem grupos políticos, sem criarem movimentos.

Deixa eu dar um exemplo, suponhamos que numa comunidade vivam 3000 pessoas, de repente agentes do Estado começam a encher o saco por lá, os locais então se reúnem, se armam e botam os agressores pra correrem, isso existe nos Estados Unidos, mas no Brasil raramente se vê isso. Sabe por que isso existe nos EUA, mas no Brasil isso é raro? Por causa de valores cristãos protestantes. Não, eu não estou elogiando o protestantismo. Embora não goste de rótulos, mas sendo categorizado como "espiritualista", sei reconhecer pontos positivos e negativos nas mais diversas religiões e filosofias. Falta união entre os libertários, entre os ancaps, e isso só ocorre numa cultura que tenha valores advindos de uma moral espiritual. "Ah mais tem moral no libertarianismo", tem moral, mas tem união? Não tem.

O libertarianismo é uma filosofia materialista, ele não trata de assuntos transcendentais, apenas o paleolibertarianismo trata, mas não, eu não sou paleolibertário.

Quando você tem uma crença transcendental, você passa a acreditar que seus atos devem ser vigiados por você mesmo, então você desenvolve valores como caridade e amor ao próximo, por que você sabe que dos seus atos surgirão recompensas ou "punições", além de também reconhecer que o próximo é seu irmão perante Deus. Não importa se você é ateu e nega a existência do transcendente, de um ponto de vista lógico você tem que concordar que uma pessoa que teme ser punida por uma força invisível por realizar atos como violação de propriedade é uma pessoa tão menos perigosa do que uma pessoa que pensa que estamos no mundo podendo fazer de tudo sem sofrermos as consequências (um niilista) por parte de uma força universal, uma pessoa que teme apenas a lei criada pelo homem: o Estado.

Tal pessoa, que só teme o Estado, poderá se unir ao Estado para conseguir agredir aos demais de forma legal. E aí?  Até mesmo entre bandidos existe uma moral. Por isso eu digo, se pessoa não tem um freio próprio, o Estado será uma realidade, sendo assim, podemos dizer também que o PNA não é o suficiente. Os únicos que respeitam o PNA são as pessoas normais, um psicopata sedento por poder não está nem aí para o PNA, ele vai sempre dar um jeito de usar de artifícios que burlem o contrato entre as partes, pra ele sair impune. Exemplo: Você tem um contrato com 3 pessoas, uma sociedade empresarial, todos são libertários, todos reconhecem o PNA, de repente um resolve violar a propriedade dos demais, pela lógica, os demais deve usar força o suficiente para pararem a agressão... ok, resolveram o problema. Agora vejamos uma outra situação: Ao invés de ir logo violando a propriedade alheia, o que o agressor vai fazer é levar todo mundo na conversa, fazendo promessas vazias, depois irá fraudar documentos, dentre outros atos, enfim, usará de toda forma de artifício para conseguir roubar os outros e sair impune. Quando os demais se derem conta, estarão sem nada. Acha que isso é impossível? A política está aí para exemplificar isso.

O que é a política se não um grupo de pessoas que faz uso de marketing e persuasão pra convencer um grupo maior a entregar-lhes suas liberdades individuais em troca de alguns agrados? E quando esse grupo maior se dá conta, já está escravizado. Todos os libertários sabem do valor das armas, sabem que políticos são psicopatas, sociopatas, narcisistas, borderlines, mas vejam quantos libertários caíram na conversa fiada do Bolsonaro de liberar as armas. "Urr durr, ele ta liberando as armas, então eu vou apoiar ele só por isso, não to a fim de viver no comunismo.", o Peter do canal ANCAP.SU foi uma das pessoas a dizer que ia apoiar o Bolsonaro sim e não estava nem aí para o que iriam pensar dele, pois ele estava com medo de viver no comunismo. Cadê o PNA nessas horas? Ele tinha um dos canais mais respeitados nesse meio, hoje ele está se tornando o próximo Rafael Lima.
Dos religiosos, os perigosos são apenas os legalistas, pois esses equivalem aos positivistas do Estado, o legalista é o cara que justifica matar em nome de Jesus (espero não haver nenhum gordinho bolsonarista lendo isso 👀). Espiritualidade é um caminho individual, não deve ser misturado com legalismo.

Agora se você for ateu e quiser permanecer ateu, tudo bem, para isso temos o budismo.
O budismo é uma filosofia focada no autodesenvolvimento, é uma forma de psicologia, e não uma religião. O budismo (o raiz, não as seitas que surgiram dele) possui 100% de comprovação científica. E sim, o budismo defende o direito de propriedade, ele não é uma filosofia pacifista. Embora te diga para não causar sofrimento aos outros e a você, os budistas claramente entendem que agressores devem ser parados, mesmo que seja necessário o uso da violência.

Um dos países mais budistas do mundo é o Japão, agora comparemos a taxa de homicídios no Japão com a taxa de homicídios no país mais católico do mundo: o Brasil:


Por que um país de forte influência budista é tão pacífico, mas um de forte influência católica não é?

Observe que não estou entrando no mérito do porte de armas. Sei sim que os japoneses pecam nesse quesito, mas ainda assim é um país com taxa de homicídios baixíssima, mas por quê?
Recentemente houve um caso de um japonês que ficou jogando o carro na frente de outro carro numa estrada, fazendo zigzag, o carro detrás parou, então o motorista do carro da frente desceu do carro, foi até o outro motorista e o agrediu. Aconteceu assim do nada. Aí você me diz "se o motorista de trás estivesse armado, isso não teria acontecido", claro, correto, mas sabe o que aconteceu depois?
Isso virou repercussão nacional. Sim, japoneses de todo o país ficaram altamente indignados com isso. Aqui a explicação do por que o porte de armas no Japão é proibido, mas ainda assim a taxa de homicídios é baixa: cultura.

Devo lembrar que não estou entrando no mérito do armamento, sou pró-armas sim, nem estou dizendo que o Japão é um país perfeito, livre de crimes, até por que a maior máfia do mundo é a japonesa, apenas estou falando do aspecto moral da coisa, aspecto moral esse que até mesmo a máfia japonesa adota e respeita.

Deu trabalho pra encontrar o vídeo, então por favor assista 😉:

O suspeito foi identificado, colocado numa lista de procurados nacionais e foi preso. Veja isso, uma "simples" agressão no trânsito é punida dessa forma. Por acaso o Japão é uma ditadura comunista agora? Não, isso vem de valores morais. Japoneses abominam essas atitudes. Se fosse até mesmo nos Estados Unidos, no máximo os estadunidenses estariam fazendo chacota comentando o caso.

O vídeo da prisão:

Esses policiais devem ter ficado realmente emocionados em realizar essa prisão, por que no aspecto da violência o Japão é realmente um tédio. Claro que seria ideal que o porte de armas fosse algo amplamente defendido pelos Japoneses (só por precaução), mas o que estou mostrando aqui é que mesmo num país pacifista, as coisas ainda podem funcionar se as pessoas seguirem um código de conduta apropriado. A conduta japonesa vem de uma cultura desenvolvida em cima de valores morais fortes, muitos deles budistas. Além disso, em boa parte da Ásia eles tem um conceito de individualismo diferente do ocidente. Eles se preocupam mais com o bem estar do indivíduo do que com que as demandas do grupo, por exemplo, no ocidente as pessoas se guiam muito pelo aspecto estético e isso causa problemas sociais de todos os tipos, discriminação contra indivíduos por eles não serem de uma determinada cor, credo, classe social, etc, isso leva a conflitos que posteriormente acabam gerando movimentos políticos democratas, o restante da história vocês já sabem, estamos hoje vivendo na era da lacração. Por outro lado, em boa parte da Ásia isso até existe, mas é irrelevante. Veja bem, um japonês vê uma pessoa não-asiática na rua e é normal ele não se importar com isso. No ocidente, dependendo de onde você estiver, as pessoas no mínimo olharão torto pra você. Esse comportamento vem do conceito do Chi, mesmo que a pessoa não acredite, isso está enraizado na cultura, no passado as pessoas acreditam que tudo estava conectado, logo, não justifica ser hostil com alguém só por causa das diferenças. Nessa forma de pensar, a pessoa vê o próximo como um ser humano, não como, por exemplo, um LGBT vs um Cristão, um latino vs um asiático, um rico vs um pobre.

Bem, acredito que consegui ser bem claro aqui. É preciso entender que o que leva ao socialismo é a inveja, o complexo de inferioridade, a esquizofrenia, a depressão, a ganância (não confundir com ambição), a falta de autoconsciência, a antipatia, enfim, todas as más características do Eu são as responsáveis pelo surgimento de sistemas como o Estado, pois se uma organização criminosa surge através do roubo, cresce e ainda se mantém, logo, o problema só pode estar nas massas que permitem que ela exista. As massas apoiando o Estado não são vítimas, são pessoas perdidas na ignorância, abrem mão de suas liberdades individuais por um pouco de conforto, depois sofrem nas mãos de psicopatas.

O que falta para o libertarianismo e no anarcocapitalismo para serem amplamente adotados é justamente esse aspecto que tem a ver com a engenharia interna, entender que antes das necessidades materiais devem vir as necessidades psicológicas, pois um indivíduo mentalmente conturbado é incapaz de adotar uma mentalidade capitalista, é incapaz de reconhecer a importância de se vencer na vida, a importância de se empreender para trazer soluções para os outros, é incapaz de defender a propriedade, liberdade e vida, so to speak.

Antes de tudo, preciso ressaltar que escrevo "Estado" com maiúscula por causa dos leigos, que podem ficar confundidos ao lerem com minúscula.

Tomem cuidado com o Peter Turguniev, liberal não é de confiança. Vejam o vídeo onde ele diz que a nota de 200 Reais não é sinal de inflação. Que a inflação já ocorreu faz tempo. Então por que estão imprimindo notas de 200 Reais agora? Qual a necessidade? Enfeitar?

Sempre que surge um assunto muito sério, ele passa um pano e diz que não é grande coisa, depois ele disfarça dizendo que os membros do Estado estão desesperados, pois estão perdendo poder.

Vocês já se perguntaram:
Quem é Peter Turguniev?
Será que Peter Turguniev não é mais um Rafael Lima?
Será que Peter Turguniev não é mais uma Joice Hasselmann?
Será que Peter não é mais um daqueles que são ou foram financiados "por fora" pra levarem o gado (atualmente o meio libertário) na maciota, ganhando tempo para o Estado (já que na democracia tempo é poder)?

Esse senhor tem-me uma forma de abordagem minimamente duvidosa. Sempre que as pessoas começam a apontar o dedo numa determinada direção, ele entra em cena e diz "Ah, isso não é nada, é isso aqui que está acontecendo", como se estivesse tentando desviar o foco.

Vejam a linha do tempo de 2013 pra cá: por acaso os políticos e os burocratas parecem desesperados pra você?

Digo isso por que desde meados de 2014 vejo todo o tipo de gente se dizer defensora da verdade, defensora da moral cristã, levantar bandeiras, debater ideias, e no final essas pessoas apenas tiraram proveito financeiro da situação ou entraram para a política. O mais engraçado é que as coisas funcionam em ciclos. No começo era a vez da direita, o "gigante" que acordou, aí veio o Ipeachment. O Impeachment não deu certo, depois veio a vez dos intervencionistas militares, agora os holofotes estavam neles, foram protestos e mais protestos, na frente dos quarteis, na paulista, em todo tipo de ambiente deserto, sempre aos domingos e feriados, e sempre protestos pacifistas, Lives e mais Lives de militares da reserva durando 3, 4 horas seguidas, conscientização em massa no Facebook, no Twitter, no Instagram, resultado: assim como os impichimistas, esses últimos compraram tempo para o Estado.

De repente os liberais ganham espaço, Amoedo pra cá e pra lá, de repente surge um "incidente" com o Bolsonaro e depois disso ele ganha as eleições. Agora é a vez dos libertários, o canal do Rafael Lima cresce, descobrem que ele é soça, o canal do Porto cresce, do Kogos cresce, do Peter cresce, outros canais crescem, máscaras caem: Paulo Kogos que um dia se declarava anarcocapitalista, agora é libertário bolsonarista (wut?), Porto arranja treta com MGTOW (Kogos também tinha arranjado), Peter Turguniev declara que vai votar em Bolsonaro sim e acabou (embora ele já venha dando sinais de ser meio soça faz tempo). É máscara caindo pra todo lado, máscara sendo arremessada, máscara sendo chutada, de repente estamos todos sendo forçados a usarmos máscaras!

Você por acaso está vendo o Estado acabando por causa da tecnologia descentralizada? Cara, a censura só está que aumenta, a desinformação também, desiludam disso de que o Estado vai acabar através da descentralização tecnológica, elas ajuda, mas ela sozinha não vai fazer nada. As pessoas precisam seguir um caminho espiritual legítimo (através de uma filosofia, não de uma religião) focado na evolução do indivíduo, como ocorre no panteísmo, como ocorre no yoga, como ocorre no cristianismo esotérico. Uma filosofia espiritual que não implique em brigar pra defende-la, e então podem unir isso aos conceitos de ética explicados pela Escola Austríaca de Economia, como a defesa do direito de propriedade através de armas. Não que eu esteja dizendo que as religiões não prestem pra nada. Os espíritas tem por princípio a caridade, a Igreja católica também é caridosa, ambos possuem uma filosofia admirável, e onde está o problema então? No fanatismo, na falta de questionamento.

Somente no dia em que as pessoas pararem de se digladiar por ideologias, credo e por qualquer outro assunto, é que o Estado automaticamente vai diminuir, mas não acredito que vá sumir, por que conflitos e gente ignorante sempre existirão, e o Estado se alimenta da ignorância de pessoas agressivas.


Não esperem que a tecnologia acabe com o Estado ou reduza o tamanho dele (sozinha), uma vez que a mesma é a principal ferramenta de lavagem cerebral utilizada por esses psicopatas. Vejamos as criptomoedas: As mesmas corretoras que surgiram como um alívio pra quem queria aprender como utilizar criptomoedas, hoje estão sendo ferradas pelo próprio gado, o gado está pedindo regulação em cima delas, até elas mesmas estão se dizendo coniventes com o Estado.

O Facebook a cada dia virando um antro comunista, já as redes sociais como a GAB e a MINDS descentralizadas são ambientes com liberdade de expressão, mas possuem baixíssimo tráfego, sendo a MINDS muito mais livre do que a GAB, mas pouquíssima gente a conhece, e tais redes sociais estão tendo pouco destaque por quê?
Por que o Google é o monopólio das buscas! Quantas pessoas utilizam outros mecanismos de buscas? Lá em 2005 a gente ainda utilizava o Yahoo, o Cadê, o Aol, o Buscapé, dentre outros, hoje a gente só usa o Google! A raiz de todo o mal da censura na internet está no corporativismo de empresas como Google e Facebook, por isso que a cada dia somos censurados cada vez mais.

As pessoas estão acomodadas demais, se quisermos que a tecnologia descentralizada quebre essa subcultura lacradora, precisamos voltar a cultuar princípios e valores morais dignos, precisamos incentivar o empreendedorismo, precisamos incentivar o desenvolvimento pessoal, precisamos incentivar a prática espiritual, seja lá qual credo a pessoa adotar, contanto que ela não encha o saco dos outros.

Será que vocês não enxergam? O problema não está nas ideias a serem defendidas, o problemas não está em seguir Fulano, Ciclano ou Deltrano: o problema está em nós. Podemos sim debater ideias, podemos sim ensinar praxeologia, podemos sim falar de ética e de moral, mas e quanto a nós mesmos? Nosso mundo interno? Por que nos preocupamos tanto em ensinarmos as pessoas a viverem, se nós mesmos não estamos fazendo a nossa faxina interna?

Não é preciso decorar 100 livros de libertarianismo pra entender que o Estado é uma organização criminosa. E aliás, o que os libertários querem? Não é serem deixados em paz? Tudo bem, mas como os libertários serão deixados em paz se eles se aprazem de uma filosofia materialista? Eu não tenho medo de falar:
A Igreja Católica 'foi uma verdadeira ditadura do pensamento, mas o que ocorre graças ao ateísmo e a lacração espiritualista é muito pior.

Por um lado você tem militantes que ridicularizam e atacam qualquer um que fale de espiritualidade, por outro lado você tem o grupo Glu Glu da Seita de Gaia que mistura política com espiritualismo.

A única coisa que deveriam ter feito era provar que espiritualidade é algo descentralizado, não era pra atacar o assunto "espiritualidade" ou pra transforma-lo em um meme. Deve-se expor apenas as mentiras e depois apontar o caminho para que a pessoa comece a se desenvolver e então se encontrar.

Você não precisa de uma Igreja ou da Bíblia pra provar pra você mesmo que Deus existe, embora a Igreja e a Bíblia tenham sim seus méritos. Toda doutrina religiosa no mundo deve ser usada apenas como caminho para agilizar a evolução de cada um, não deve ser utilizada da mesma forma que se utiliza uma ideologia. O ser humano é dotado de racionalidade, mas a partir da hora em que ele adota um extremo, seja esse extremo religioso, místico ou ateísta, ele se perde.

Estude sobre a filosofia do Novo Pensamento e sobre os princípios herméticos, isso te fará compreender essa realidade tal como ela é, você irá descobrir as mentiras tanto das religiões, quanto das ideologias e das mais diversas filosofias, mas é claro, isso é apenas um ponto de partida, o restante do trabalho você deve fazer dentro de você, depois você verá que toda essa briga atual (seja pelo motivo que for) é inútil.
Este artigo é uma resposta a uma pergunta feita no site Quora. Bom... primeiro tenho que deixar claro que eu fiz uma bela de uma confusão aqui. Eu estava tentando responder a uma resposta e pensando que estava respondendo a pergunta. Então vou postar os prints da resposta da pessoa, para que a minha resposta não fique fora de contexto:

Primeiro Screenshot

Segundo Screenshot


Existe uma resposta lógica muito boa pra isso, mas a maioria das pessoas não a aceita: Não existe almoço grátis. Salário mínimo é uma medida socialista que força o empresário a pagar um salário para o empregado independentemente da produtividade do empregado.

Imagine que você tem uma empresa e precisa contratar um funcionário, e já que você falou do kg do frango, vamos supor que seja uma granja, sabendo-se que você é obrigado pelo estado a pagar o salário do funcionário de qualquer jeito, você não vai querer sair no prejuízo, e então o que você faz?

Você joga a responsabilidade no funcionário que será contratado. Como?

Na hora de publicar a vaga de emprego você fará várias exigências, como experiência de 6 meses, ensino médio completo, carteira A e B (mesmo que não precise), dentre outros. Você irá dificultar de todas as formas o ingresso das pessoas na sua empresa, assim você se certifica que apenas pessoas responsáveis entrem.

Se você não fosse obrigado a pagar um salário mínimo, se você pudesse decidir o quanto pagar e como contratar, e mais, se fosse fácil abrir e manter uma empresa no Brasil, isso resultaria em competição de mercado acirrada, as empresas competiriam até por empregos.

Tal competição. a longo prazo, resultaria em um boom na economia, pois o mercado se auto-regula, assim as pessoas teriam salários justos, pois o salário de um indivíduo seria determinado de acordo com o valor que ele oferece para a empresa.

Quando se tem salário mínimo e outras dezenas de entraves estatais, tem-se miséria em todos os setores, e o preço final dos produtos e serviços sempre será repassado ao consumidor, pois há muito pouca liberdade econômica para se empreender, por isso o Kg do frango está tão caro onde você mora. :)
Este artigo é uma resposta ao vídeo do canal Central:
"NOVO concorrente do YouTube CHEGOU?"
https://www.youtube.com/watch?v=YlmOjB7zZFA

O YouTube desbanca as outras plataforma por causa, principalmente, do Google! As pessoas primeiro pesquisam as coisas no Google, e o Google dá preferência aos vídeos do YouTube nos resultados. Vão no Google aí e pesquisem pelo termo "vídeo", só isso, "´video". Logo abaixo da aba de notícias tem uma aba chamada vídeos, vídeos de qual site? Do YouTube. Nos resultados de busca também é mais fácil ver resultados do YouTube.
A jogada da empresa Google é crescer múltiplas plataformas e fazer uma retroalimentar a outra, é por isso que a concorrência vem e vai, por que os caras querem competir só com o YouTube. Agora imagina se o site duckduckgo se une à essa Story Fire e depois começam a criar também outras plataformas úteis, já que o Google tem também a plataforma de documentos, a plataforma do blogspot, a plataforma do Adsense, dentre outras. A concorrência é contra as principais ferramentas do Google, sendo que a base é o site de pesquisa deles.

Observem, o Google foi uma empresa de fundo de quintal que começou como um simples site de buscas, eles não começaram como um site de vídeos. Até me lembro de quando surgiu o Google, tinha concorrentes de peso, como a AOL, o UOL, Yahoo, MSN, Cadê, Alta Vista, dentre outros. Todos eram mecanismos de buscas e todos eram bons, por que será que o Google saiu na frente? Será que foi só por causa do motor de buscas? Quando surgiu o YouTube, a plataforma meio que popularizou muito rápido.

Depois o Google foi criando outras plataformas, em 1999 foi criado o Blogger (Blogger) e que maravilha era poder ter um blog com cara de site (e não com cara de Tumblr), o blogspot foi uma plataforma que já deu muito dinheiro pra muita gente, por que você basicamente só precisava mesmo ter algum conhecimento de HTML pra poder usar uma plataforma com cara de blog profissional (já que tem templates). A grande tacada do Google foi ter investido em várias ferramentas úteis, a maioria gratuita, e com o tempo foram aprimorando essas ferramentas. Também tem o fato de que esse tipo de empresa sempre compra concorrentes, como acontece com o Messenger (MSN) que foi comprado pelo Facebook, esse que também comprou o Instagram, e também comprou o Whatsapp. Todas as plataformas que tem potencial pra desbancarem essas empresas corporativistas sempre são compradas por essas mesmas empresas, mas é claro, ninguém bota a arma na cabeça de ninguém e obriga a venderem as coisas, os caras vendem simplesmente por que... por que querem. Talvez por ganância? Por que o Whatsapp mesmo foi vendido por 19 bilhões de dólares. Vocês sabem o quantos dígitos tem em 19 bilhões de dólares?

Eu acompanho o Google desde 2005, eu era uma daquelas pessoas que viviam preocupadas com as atualizações dos algorítimos (por que dependia do SEO pra ganhar dinheiro), era Google Panda, Google Penguin, Google hummingbird, vejam essa lista de algumas atualizações do algorítimo:

1. Florida (2003) 🌴
2. Panda (2011) 🐼
3. Penguin (2012) 🐧
4. Hummingbird (2013) 🐦
5. HTTPS/SSL Update (2014) 🔒
6. Mobile Friendly Update – Mobilegeddon (2015) 📱
7. Rankbrain (2015) 🧠
8. Fred (2017) fred
9. Medical Update (2018) 🏥
10. EAT (2019) 🍔

O problema da concorrência é querer bater de frente apenas com o YouTube, não usam de estratégia pra analisarem a situação como um todo. É claro que o Google é uma corporação, tem a questão do dinheiro também, mas obviamente que quem está batendo de frente já sabe disso e tem dinheiro o suficiente pra bater de frente, se não... seria tolice. Acredito que plataformas de diversos temas deveriam se unir, criando uma empresa só, e assim poderiam meter medo no Google.

Este artigo foi retirado do site do instituto Mises, esse que é meio soça, mas o artigo é bom.

Todo o evangelho de Karl Marx pode ser resumido em duas frases: Odeie o indivíduo mais bem-sucedido que você.  Odeie qualquer pessoa que esteja em melhor situação do que a sua.
Jamais, sob qualquer circunstância, admita que o sucesso de alguém pode ser decorrente de seu esforço próprio, de sua capacidade, de seu preparo, de sua superioridade em determinada atividade.  Jamais aceite que o sucesso de alguém pode advir de sua contribuição produtiva para algum setor da economia, contribuição essa que foi apreciada por pessoas que voluntariamente adquiriram seus serviços.  Jamais atribua o sucesso de alguém às suas virtudes, mas sim à sua capacidade de explorar, trapacear, ludibriar e espoliar. 
Jamais, sob qualquer circunstância, admita que você pode não ter se tornado aquilo com que sempre sonhou por causa de alguma fraqueza ou incapacidade sua.  Jamais admita que o fracasso de alguém pode ser devido aos defeitos dessa própria pessoa — preguiça, incompetência, imprudência, incapacidade ou ignorância. 
Acima de tudo, jamais acredite na honestidade, objetividade ou imparcialidade de alguém que discorde de você.  Qualquer um que discorde de você certamente é um alienado a serviço da burguesia e do "capital".
Este ódio básico é o núcleo do marxismo.  É a sua força-motriz.  É o que impele seus seguidores.  Se você jogar fora o materialismo dialético, o arcabouço hegeliano, os jargões técnicos, a análise 'científica' e todas as inúmeras palavras presunçosas, você ainda assim ficará com o núcleo do marxismo: o ódio e a inveja doentia do sucesso, que são a razão de ser de toda esta ideologia.
Olá

Observe este Thread:






Era pra ser uma resposta em comentário, mas como ficou grande demais, virou artigo. :)

Começando:
"Primeiro de tudo você precisa entender que Marx não era defensor de estado forte ou supremo, quem defendia isso era Mussolini e Hitler, já que a base do fascismo é o poder supremo do estado."

O tamanho ou tipo de estado que se defende não importa. Toda forma de estado, por menor que seja, irá virar estado máximo. O Estado é formado por indivíduos sedentos por poder, os mesmos usam de todos os tipos de artifícios, como a política, as ideologias, as teorias de falsos economistas, para perpetuarem o sistema do qual fazem parte, assim deixando tal sistema cada vez mais invasivo com o tempo. Isso é, também, um processo subversivo cultural, pois perverter os valores morais dos indivíduos também é de suma importância para se aumentar o tamanho do Estado.

Você sabia que Karl Marx falhou ao pregar que o proletário deveria pegar em armas e fazer revolução? Quem resolveu isso foi Antonio Nunes... quer dizer, foi Antonio Gramsci, ao propor que a revolução deveria ser feita no âmbito cultural. Imaginei que você soubesse disso, a revolução armada do proletariado, pregada por Karl Marx, não se faz possível se antes não houver uma revolução cultural, pois pode acontecer, exemplo, do proletário preferir negociar com os empresários, ao invés de tentar derruba-los.

O processo de subversão cultural é, inclusive, explicado por Yuri Bezmenov, ex agente da KGB que expôs como a União Soviética ascendeu.

Um exemplo, no meio libertário e anarcocapitalista duas figuras criticadas são os liberais e os conversadores, por apoiarem o minarquismo (estado mínimo), são criticados por que toda forma de estado mínimo vira estado máximo com o tempo. O estado é o monopólio da força e não há quem bata de frente com ele de dentro para fora, pelo contrário, para aqueles que buscam poder e dinheiro, é muito mais vantajoso associarem-se ao Estado e é isso que acontece na prática. Alguma vez você já viu tornar-se presidente algum político que não siga a agenda estatal? Todos os políticos seguem à risca a agenda da gangue, a qual visa aumentar e perpetuar o estado, beneficiando apenas seus integrantes. Outro detalhe, toda forma de estado é socialismo, visto que o estado surge da violação do direito de propriedade (ver ética libertária) dos indivíduos e da socialização dos recursos roubados através de tal violação (exemplo: redistribuição de renda e esquemas multimilionários de corrupção).
" "Marx defendia o governo dos trabalhadores, o chamado "estado proletário", onde os meios de produção seriam dominados por indivíduos ou grupos oriundos da classe trabalhadora.
Esses indivíduos iriam se revezar por meio de eleições e referendos(democracia direta).
Depois que essa sociedade se consolidasse iniciaríamos o caminho para o "comunismo", uma sociedade sem classes, estado, nem dinheiro."
Primeiro, sociedade propriamente dita não existe, o que há são indivíduos com necessidades distintas, competindo por recursos escassos, e que com o tempo veem que é mais vantajoso reunirem-se em grupos para aumentarem suas chances de sobrevivência (tais grupos são o que chamamos de sociedade, mas por mera conveniência), porém, sempre há entre tais indivíduos aqueles que irão tentar tirar vantagem dos demais, assim surge a política. A política é a arte da ilegitimidade, um punhado de charlatões que levam a maioria a acreditar que eles, os charlatões, sabem o que é melhor para a maioria, disso surgem figuras como Karl Marx, que criam teorias que só servem para ludibriar os indivíduos e favorecer o assalto por parte dos charlatões políticos.

Segundo: Marx não trata de ética, nem de economia. Ele fala em democracia moderna, sendo que ela por si só já é uma violação do direito de propriedade de quem não concordar com as decisões tomadas por seus idealizadores. A Irlanda medieval era uma nação anarquista e os clãs tinham a própria democracia, porém, eles respeitavam o direito de secessão dos indivíduos, então a democracia deles funcionava, pois quem não concordasse com as decisões tomadas bastava desassociar-se do clã e ir para outro clã, ou criar o próprio clã. Essa é a única forma da democracia funcionar: Quando ela respeita o direito de desassociarão. Atualmente vemos isso em países que possuem economia mais livre, por exemplo, a Estônia, que é um dos países, se não o, mais desburocratizados do mundo, lugar onde se está ruim pra você o seu trabalho, você é livre para sair da empresa e ir arranjar emprego em outro lugar, ou abrir a própria empresa e competir no mercado. Já em um sistema comunista isso não se faz possível, visto que o governo comunista e as empresas corporativistas estão unidos na monopolização do mercado.

Lembra que você falou de "uma sociedade sem classes, estado, nem dinheiro"? Sinto muito informar-lhe, mas em um mundo onde as pessoas competem por recursos escassos sempre haverá conflitos, logo, é natural que surjam coisas como desigualdade social, dinheiro e até estado, porém, a naturalidade no surgimento do Estado deve-se ao fato de que ladrões sempre existiram e sempre existirão, isso não quer dizer que o Estado em si seja algo natural, o surgimento dele que é natural, mas a presença dele vai contra a natureza de um modo geral. Pense nisso como uma doença, é natural uma pessoa adoecer por qualquer motivo que seja, mas não é natural a pessoa permanecer doente para sempre. Da mesma forma que estar acostumado com uma doença crônica não é o mesmo que se estar com saúde.

Outro detalhe é que mesmo se o governante tiver boas intenções, não vai conseguir suprir a demanda dos indivíduos simplesmente pelo fato de ele não ter todas as informações e recursos para tal.
O conhecimento está sempre disperso na “sociedade”, por isso que arbitrariedades como controle de preços nunca dá certo, logo, torna-se impossível dizer que há um governo dos trabalhadores. Ludwig Von Mises já provou a impossibilidade de um sistema de preços dentro do socialismo (Estado), não há liberdade econômica onde há intervencionismo. O mercado, que são os indivíduos e suas necessidades distintas, deve ser deixado em paz para se auto-regular, qualquer agente externo que intervenha achando que sabe o que é melhor para os envolvidos irá apenas piorar as coisas, um dos motivos pelos quais o socialismo não funciona.

Vamos citar você como exemplo, imagine se seus argumentos precisassem de pré-aprovação de um apoiador do Bolsonaro, aí o indivíduo leria seus argumentos e pensaria "Não concordo com os argumentos desse comunista imundo, esse lixo humano não vai ter direito de fala aqui, a nossa bandeira jamais será vermelha!", sim, provavelmente é assim que ele iria te tratar, iria te agradar ser censurado?

Pois é exatamente isso que acontece com o politicamente correto hoje nas redes sociais, dependendo do que você postar no Facebook (por exemplo) você é censurado de imediato e isso tem tudo a ver com o marxismo. No marxismo você defende que os indivíduos precisam da tutela de terceiros para pensarem e agirem, ou seja, você defende um sistema de escravidão moderna, o marxismo é uma ideologia que na própria base já viola o direito de propriedade. Se René Descartes dizia "Penso, logo existo.", o libertário/anarcocapitalista diz "O indivíduo argumenta, logo exerce o direito de propriedade", e isso é pura matemática, é um argumento a priori, irrefutável.

Se você exprime opinião em algo, implicitamente você já está afirmando que você tem vontade própria e é dotado de análise crítica. Você só não teria direito de propriedade se fosse um animal, visto que um animal age por mero instinto, ele não é capaz de tomar decisões racionais. Logo, isso aqui por si só já refuta o marxismo, que pressupõe que indivíduos são moldados pelo meio (sociedade), negando qualquer forma de individualismo, com discursos como "Devemos lutar pela minoria", mas tem um detalhe: A menor minoria é o indivíduo. Coletivo não existe.

Apenas os indivíduos sabem o que é melhor para eles.

Além do mais, você parte da premissa de que as pessoas que estão no poder vão abrir mão dele deliberadamente em prol de uma "sociedade" comunista. Mas não dá nenhuma razão para acreditar que isso aconteceria de verdade. É como achar que o político de hoje vai trabalhar em prol do povo e não dele mesmo. Ser trabalhador ou não é irrelevante, se um grupo pequeno de pessoas detêm o poder, não existe razão para achar que eles vão abrir mão dele.
"A base epistemiológica e ética do Marxismo é o chamado "materialismo dialético",  a concepção filosófica e método científico que defende que o ambiente, o organismo e os fenômenos físicos tanto modelam animais irracionais e racionais, sua sociedade e cultura quanto são modelados por eles, ou seja, que a matéria está em uma relação  com o psicológico e o social."
Materialismo dialético não é epistemologicamente comprovável. Segundo o materialismo dialético as coisas simplesmente surgem do nada, da natureza, você está se esquecendo de que tudo aquilo que é produzido surge de ideias, logo, das mentes dos indivíduos. A criatividade advinda do processo mental é um fato indecomponível do ser humano, mas isso é ignorado por Marx (desconhecimento ou falha de caráter?).

Ok, você pode argumentar que a mente surge da matéria, alegando que ela surge no cérebro e que o cérebro é matéria, mas teria a matéria por si só a capacidade de pensar?
Será que uma árvore consegue ter ideias? Que tal um pássaro?
Não é possível que a consciência humana não passe apenas de um punhado de cargas elétricas transitando dentro de uma massa cinzenta, de qualquer forma, isso levaria a discussão a outro patamar, então para não fugir do assunto apenas direi que ideias surgem de indivíduos, seres que são dotados de racionalidade.

É impossível falar em avanço tecnológico ao mesmo tempo em que se condena o capitalismo. Sem o empreendedorismo não há progresso tecnológico, e o empreendedorismo só se faz possível através do acúmulo de capital, acúmulo de capital esse que se faz necessário para que haja qualquer inovação. Deve-se levar em consideração o axioma ação, que diz que toda ação humana é propositada a um fim, todas as pessoas querem produzir, comprar ou trocar algo, mesmo que sejam apenas informações sendo trocadas.

Citando, artigo Teoria e História, Capítulo 7. Materialismo Dialético:
"Marx, obviamente, não tinha como não admitir que o acúmulo de capital é “uma das condições mais indispensáveis para a evolução da produção industrial”.[14] Parte de seu imenso tratado, Das Kapital, apresenta uma história — totalmente distorcida — do acúmulo de capital. Mas assim que ele chega à sua doutrina do materialismo, ele se esquece de tudo o que falou até então sobre o assunto; as máquinas e ferramentas parecem ter sido criadas por geração espontânea."
Autoria de Ludwig von Mises, fonte Instituto Rothbard

Ou seja, as formas como os seres humanos desenvolvem suas relações de trabalho não tem origem nas forças de produção, é o oposto disso, as formas como os seres humanos desenvolvem suas relações de trabalho são essenciais para que as forças de produção venham a existir.
A origem dos meios de produção surge da premissa de que há uma divisão do trabalho entre os indivíduos, logo, os marxistas usam um argumento circular ao defenderem o Materialismo Dialético.
Citando, site Filosofia Na Escola, já que você usou um trecho da Wikipédia (e pensa que eu nem percebi). :)

"Argumento circular é um tipo de falácia que consiste em justificar a conclusão que está sendo defendida usando a própria conclusão, com palavras um pouco diferentes. No argumento circular, nenhuma informação útil é acrescentada para sustentar a conclusão.
Podemos exemplificar a petição de princípio com exemplos como “Matar não é certo, logo matar não é certo”. Mas quando ocorre realmente na argumentação é frequente a conclusão apresentar  algumas (por vezes consideráveis) modificações linguísticas, de forma a não parecer uma mera repetição. Por exemplo:  “Matar  seres humanos não é moralmente certo; logo matar pessoas é eticamente errado” ou “O boxe é um esporte inseguro e arriscado; logo, o boxe é perigoso”."

As forças de produção só podem existir caso já haja toda uma estrutura "social", ou seja, já haja uma cultura surgida da ordem natural das coisas.
O empreendedorismo, a delegação das funções de cada indivíduo no trabalho, as relações humanas harmoniosas, tudo isso surge do axioma da ação, das necessidades distintas que os indivíduos tem para fazerem trocas voluntárias, algo natural e espontâneo, que exige cooperação entre os indivíduos, sem a qual não seria possível criar quaisquer meios de produção.

Concluindo:
Se os laços entre os indivíduos se fazem necessários para a existência das forças de produção, como então as forças de produção poderiam simplesmente surgir do nada, assim como é afirmado no materialismo dialético? Mesmo aqueles que ganham coisas "grátis", esses estão vivendo às custas de alguém, ou seja, não existe nada de graça, alguém sempre terá que trabalhar pra pagar a conta.

Você disse em um dos comentários que o Marxismo é algo muito mais complexo, e realmente: É preciso fazer uso de uma retórica muito bem desenvolvida para se defender uma tonelada de argumentos absurdamente falaciosos. A verdade, por outro lado, é algo simples, você não precisa estudar a teoria da relatividade pra comprovar que 2 + 2 é igual a 4.

Quando vejo os Marxistas argumentando contra os estudantes da Escola Austríaca de economia, o que mais vejo são falácias de apelo à autoridade e apelo ao ridículo, coisas do tipo "kkkkk, os caras nem leram Marx, mas querem refutar Marx.", "Sua teoria austríaca não é ensinada em nenhuma universidade", "A maioria dos canais no YouTube que falam de economia não ensinam nada da Escola Austríaca de Economia", sim, são falácias, e sabe por que eles fazem isso? Por que eles apenas decoram o que leem. Eles não fazem esforço algum para entenderem se aquilo que está sendo apresentado é epistemologicamente comprovável.

Para os marxistas, o que vale é a validação "social", se uma coisa é vista com bons olhos pelo "coletivo", logo, essa coisa é boa, o que apenas reforça a afirmação de que marxistas negam quaisquer traços de individualismo, infelizmente comportam-se como gado de corte, massa de manobra de políticos e de ideólogos oportunistas, por isso eles ficam irritados quando algum ANCAP/libertário “ralé" surge dizendo ter refutado o ídolo deles, por que eles fazem parte de um pensamento de seita, e isso até me lembra um pessoa que segue um certo guru da Virgínia, qualquer semelhança não é mera coincidência.

É aquilo "Como ousas contestar o nosso mártir?". Mas a realidade é outra, senhoras e senhores, aqueles que estudam praxeologia não tem interesse em discutir títulos, status, pessoas, o que está em pauta é o estudo da ação humana.
Se para vocês marxistas o que importa é a bolha ideológica da qual fazem parte, tudo bem, mas aquilo que vocês defendem é uma ficção que tem tanto valor quanto um livro de romance, a única diferença é que que o Estado tenta implementar essa ficção nas vidas dos indivíduos. Há um ditado, por Millôr Fernandes, que diz "O comunismo é uma espécie de alfaiate que quando a roupa não fica boa faz alterações no cliente.", por isso dizem que há quem lê Marx e há quem deixa de ler Marx por que entendeu Marx.

Uma fonte bem útil refutando o Materialismo Dialético: https://rothbardbrasil.com/teoria-e-historia-11/

Até

Atualização, 2/7/2020, o caso é mais grave do que imaginei



A primeira coisa em que a pessoa repara é se há erros de português, como se isso tivesse alguma relevância em um ambiente onde o que importa é falar a verdade. Por outro, os textos dele estão cheios de erros, mas tudo bem, isso não tem importância. Começando:



O Anônimo Greg ​Eu tentei ser imparcial com você, mas vejo que você é só mais um idiota pagando de intelectual, portanto, será tratado como tal.
"Porém você insistiu em me atacar com essa argumentação da União soviética ao tentar dizer que o "socialismo puro" foi implantado na união soviética,quando na realidade eu sempre critiquei a união soviética justamente por ser trotskista ,"
O quão esquizofrênico uma pessoa consegue ser ao ponto de dizer que ela foi atacada em um artigo completamente imparcial? Nossa cara, olha eu te atacando, estou jogando mísseis na sua cabeça, fuja para as colinas. Além disso, acho que você ainda não entendeu a minha visão de socialismo: a mim pouco importa a ideologia e isso já foi explicado.
"e por fim você partiu para a teoria conspiratória do Marxismo cultural , baseando se em uma afirmação descontextualizada de Antonio Gramsci que disse que a revolução deveria ser realizada por meios culturais .

Essa teoria conspiratória do Marxismo cultural possui origens exclusivamente anti-semiticas , visto que a primeira vez que um termo parecido com Marxismo cultural foi mencionado foi quando Adolf Hitler falou no "minha luta"(Mein Kampf) em "cultura Judaico-Bolchevique". O termo Marxismo cultural foi solidificado a partir da década de 60, quando grupos supremacistas brancos no EUA começaram a dizer que a raça branca estava ameaçada por uma "ofensiva Marxista cultural". "

Falácia do espantalho e não tem nada fora de contexto. Eu citei a revolução cultural foi sugerida por Gramsci como substituição ao que era sugerido por Marx (Revolução armada do proletário) e citei a teoria da subversão, que é completamente explicada e comprovada por Yuri Bezmenov, em momento algum eu disse que isso é uma exclusividade do marxismo. Pare de inventar estórias. Além do mais, o processo de subversão não é uma exclusividade do século passado, o fabianismo já pregava isso, e o "fabianismo" surgiu na Inglaterra, lá pela metade do século 19 (olha só, muito antes dos nazistas, que interessante), e o nome foi originado do general romano Fabius Maximus Cunctator, que tinha por estratégia de guerra vencer o inimigo pelo confronto indireto, vencer pelo cansaço, evitando briga, por assim dizer.
"E mesmo quando eu disse que comunismo não é modelo econômico e é uma sociedade sem estado, sem classes e nem dinheiro você continuou usando-se de afirmações conspiratórias dizendo que o Facebook é Comunista (kkkkkk) e que todo o comunista quer acabar com a sua liberdade de expressão (risos explosivos)."

Mais um espantalho, cara? Já tá pegando mal.

Vamos recapitular o que foi dito por mim:

" Vamos citar você como exemplo, imagine se seus argumentos precisassem de pré-aprovação de um apoiador do Bolsonaro, aí o indivíduo leria seus argumentos e pensaria "Não concordo com os argumentos desse comunista imundo, esse lixo humano não vai ter direito de fala aqui, a nossa bandeira jamais será vermelha!", sim, provavelmente é assim que ele iria te tratar, iria te agradar ser censurado?

Pois é exatamente isso que acontece com o politicamente correto hoje nas redes sociais, dependendo do que você postar no Facebook (por exemplo) você é censurado de imediato e isso tem tudo a ver com o marxismo. No marxismo você defende que os indivíduos precisam da tutela de terceiros para pensarem e agirem, ou seja, você defende um sistema de escravidão moderna, o marxismo é uma ideologia que na própria base já viola o direito de propriedade. Se René Descartes dizia "Penso, logo existo.", o libertário/anarcocapitalista diz "O indivíduo argumenta, logo exerce o direito de propriedade", e isso é pura matemática, é um argumento a priori, irrefutável. ”


Fazer uma correlação entre o politicamente correto imperando numa rede social e o marxismo é o mesmo que dizer que a rede social é comunista? Você já nasceu usando falácia do espantalho ou fez SENAI? Imagina o médico falando para a sua mãe, “Parabéns, é um menino.”, aí você na hora retruca “Então você não gosta de meninas, por que durante o ultrassom você disse que era uma menina”. Além do mais, e se por acaso o Facebook tiver viés comunista também, isso me faz deixar de provar algo aqui? Não.
"Depois disso você usou-se de uma série de ginasticas mentais"
Já vi o termo malabarismo mental, mas "Ginásticas mentais" é a primeira vez. kkkkkkkkkkkkkkk
" sem comprovação histórica nenhuma e de uma afirmação absurda que já foi refutada várias vezes para atacar a teoria Marxista, dizendo que todo o Marxismo leva a um "estado gordo" e que todo o estado gordo é "socialismo" "
Todo marxismo onde? Toda forma de estado, por menor que seja, irá virar estado máximo, é o que foi dito e isso não é exclusividade da sua ideologia burra. E ta errado p#*ra??? Existe comprovação a priori disso, refutações feitas pela escola austríaca de economia, agora se você acha que está errado, isso já não é problema meu. Na verdade nem é preciso ser um gênio pra entender que aqueles que detém o monopólio das armas nunca irão se submeter à vontade de quem tem menos poder do que eles, nesse caso as massas. O cara quer comprovações históricas, pelo visto a lógica não importa pra ele, o que importa é o que está registrado. Ok, lá vai uma comprovação histórica: Socialismo e comunismo nunca deram certo em lugar algum do mundo. O socialismo nunca funcionou em lugar algum do mundo por que não é capaz de fornecer um sistema de preços, assim leva ao crescimento, e consequentemente, à quebra do Estado, enquanto que o comunismo, que é o estágio final do socialismo, nunca deu certo em lugar algum do mundo por que o mesmo tenta exercer total intervencionismo nas relações entre os indivíduos, chegando ao ponto de fazer as pessoas morrerem de fome devido a tanta burocracia. Comprovação histórica fornecida, satisfeito? Acredito que não, mas f**a-se.

Ambos socialismo e comunismo são sistemas parasíticos que só duram enquanto as pessoas aguentam a escravidão. Marx previu a queda do capitalismo, o capitalismo seguiu a todo o vapor, Mises previu a queda do comunismo, o comunismo caiu.
"Seguindo essa lógica eu posso dizer que o socialismo já existia no século 15 por exemplo , com a ascensão do absolutismo na Europa, visto que o absolutismo europeu era uma governança de estado gordo (-L' etat et moi"- Luis XIV) e posso dizer também que Thomas Hobbes era um socialista porque ele advocava por um estado forte, mesmo que o termo socialismo seja um termo cunhado pelo filósofo francês Charles Fourrier no início do século XIX. "
Pode dizer sim, quem está discordando? Socialismo é um sistema de controle “social” que surge da violação do direito de propriedade do indivíduo. Preciso desenhar também?
"e por fim quando você começou a falar do materialismo dialético você não só distorceu um artigo do instituto Rothbard(uma dissidência do instituto Mises) como também você utilizou-se da falácia lógica do envenenamento do poço para discreditar a teoria visto que por ela ser uma teoria Marxista então imediatamente ela não tem "lógica ou ética". "
Primeiro, sobre a distorção: Me responsabilizo pelo o que falo, não pelo o que você entende. E em que dizer “uma dissidência do instituto Mises” acrescenta em algo aqui mesmo? Está querendo parecer importante ao dizer isso? É claro, Mises era um liberal clássico, foi um dos precursores da Escola Austríaca de economia, da qual Rothbard fazia parte. Pelo instituto Mises ter um viés mais liberal, é claro que surgirão discordâncias entre aqueles do instituto Rothbard e os do instituto Mises, mas isso não invalida tudo o que Mises disse, pelo contrário, o artigo fornecido pelo instituto Rothbard é de autoria do próprio Mises.

Não entendi o que exatamente você quis sugerir aqui, mas vou relevar.
Agora sobre a "falácia lógica do envenenamento do poço", vejamos o que é isso:
"Envenenar o poço é uma falácia que consiste em apresentar informações pessoais desfavoráveis sobre um oponente de debate e usar essas informações como razão para não acreditar no que esse diz."
O que foi dito no artigo:
“Ou seja, as formas como os seres humanos desenvolvem suas relações de trabalho não tem origem nas forças de produção, é o oposto disso, as formas como os seres humanos desenvolvem suas relações de trabalho são essenciais para que as forças de produção venham a existir. ”
Não estou vendo nenhuma informação pessoal desfavorável sobre o oponente aí. :)

Nenhum ataque foi feito à sua pessoa no artigo, principalmente antes da parte da conclusão, por que a partir da conclusão eu critico sim os marxistas, OS MARXISTAS, não a sua pessoa em específico. Acredite, você não é tão importante assim, e nunca será (pelo menos para mim). Ou será que sua negação do individualismo é tão grande que você chega ao ponto de acreditar que a sua identidade é o marxismo? Aí já é com você.
"Se com esse artigo que você escreveu seu objetivo era parecer mais inteligente e intelectual do que eu eu só digo uma coisa:

Você falhou. "
Aêeeee, refogoooou. Você falando é igual a peixe, argumento que é bom, nada. Cara, parece até que estou discutindo com um adolescente de 14 anos.
"E se você acha que vai conseguir vencer debates com teorias conspiratórias, ginásticas mentais e envenenamento do poço eu só digo uma coisa:

-você está despreparado."

Nossa, fui desmascarado pelo conto-da-carochinha. Todo o estudo com comprovação a priori acaba de ser refRutado pelo coleguinha marxista sem nenhum argumento lógico.
“E por fim: Bitcoin é charlatanismo, esse negócio só serve para fazer qualquer idiota que acha que vai ficar rico virar pobre.”
Esqueceu de tomar seu Gardenal hoje, cara? Quem ta falando em Bitcoin aqui? Tu vê um anúncio de Bitcoin no site e já pensa que faz parte do texto? Meu Deus.

Mas pra você não chorar achando que não vou falar da sua opinião sobre o Bitcoin: Eu não vou nem perder o meu tempo tentando te convencer do contrário. Se você diz que é charlatanismo, o problema é seu.
“ E eu também poderia apontar as publicações antissemitas do seu blog, visto que eu sou judeu e isso me deixa bem assustado. ”
Aponte uma única linha em qualquer parte do meu conteúdo onde esteja sendo pregada o ódio a judeus (antissemitismo), ao invés da exposição meramente informativa daquilo que foi o sionismo, maçonaria e o bolchevismo, além do mais, aproveite e estude as diferenças entre judaísmo e sionismo (pra parar de passar vergonha), mas já vou adiantando para você: judaísmo é religião, sionismo é ideologia.

Você se coloca no papel de vítima o tempo inteiro e passa a maior parte do tempo atacando espantalhos, será que isso é resultado de uma personalidade narcisista? Pois a quantidade de espantalhos utilizados é por demasiado escandalosa.

Aproveitando pra dizer que está tudo registrado, e que se alguém usar o Estado pra me prejudicar por causa de tal acusação, eu vou reagir.

O link da conta de quem me acusa de antissemitismo:

https://www.youtube.com/channel/UCekgOhpppS-U-35tfGkv_-A


Tenha um excelente dia e encerramos essa conversa aqui, tenho mais o que fazer, tempo é dinheiro.
Willamy Carrilho perguntou em uma postagem, "Não é nada relacionado com o vídeo, eu queria saber é uma forma de aprender inglês, eu tenho zero de vontade de aprender vendo vídeos aulas, eu comecei a jogar divinity 2 so para aprender inglês usando o google tradutor e tals, esse método funcionária?Eu vi que tem coisas que ta marcando minha mente enquanto jogo, não sei se a longo prazo eu conseguiria aprender o suficiente para ler,ouvir e escrever tranquilamente em inglês."

Sua técnica não apenas funciona, como também funciona pra qualquer coisa que você for aprender e é algo que faz parte do melhor método. Agora você só precisa do método como um todo. Você está começando a descobrir que lidar com as coisas do lado emocional é melhor para o aprendizado. Emoção vem de Em Moção, em movimento (no inglês emotion vem de "in motion"), no caso seria pensamento em movimento. É uma excelente técnica de memorização essa. Se algo te marca, significa que você está imerso na experiência, em outras palavras, você está aprendendo enquanto se envolve emocionalmente.

Agora você só tem que arranjar uma forma de maximizar a imersão, pra agilizar o processo de aprendizado.
Deixa eu te dar um exemplo, imagine que você quer decorar um número de telefone, e então você vai e imagina o número do tamanho de uma casa de dois andares, depois imagina o número iluminado, imagina que tem alguns detalhes ao redor, e então pensa nesse número piscando, pensa também num coral cantando esse número. Não é muito mais fácil agora agora se lembrar não apenas do número, mas também do que você está lendo agora?


Nas instituições de ensino as pessoas tem tanta dificuldade pra aprenderem algo, e muitas vezes passam anos até chegarem ao nível intermediário, por que a maioria das instituições utiliza metodologias arcaicas e chatas, entendiantes, algumas são até completamente inúteis, mas isso tem um motivo: o objetivo da maioria dessas instituições de ensino é arrancar o máximo de dinheiro possível do aluno. O que costumo dizer é que a melhor forma de se aprender algo é apanhando, é tomando soco na cara. Primeiro você pega a base, no caso de um idioma é bom você começar pelo nível A1, depois você já vai logo pra porrada. Ir pra porrada seria como?

Pensa assim: Suponhamos que você não fale nada de japonês, mas de repente sua família vai morar no Japão e você tem que ir junto. Japoneses de modo geral não gostam nem de arranhar o inglês, muitos nem falam o idioma, na maioria das coisas no Japão vem escrito e falado em japonês, até a privada eletrônica do banheiro fala japonês, e aí, o que você vai fazer? Você está morando em um lugar onde só falam aquele idioma, e você precisa trabalhar, você não tem tempo pra ficar fazendo cursinho de japonês, como você se vira então? Bom, sua primeira atitude provavelmente será a de se aproximar de brasileiros, por questões de sobrevivência, mas ainda assim isso não é a solução definitiva, e se você se apegar a isso você vai depender dessas pessoas por vários anos, ou seja, você ainda precisa falar o idioma japonês. O que você deve fazer é começar a observar e perguntar, observe quais palavras são mais utilizadas e para quais objetos e pessoas elas são mais apontadas.

Só pensar da seguinte forma: Como você aprendeu seu idioma nativo, o português? Você fez curso? Claro que não. A forma como você aprendeu foi observando as pessoas ao seu redor, seus pais também te ensinaram palavras básicas, você provavelmente via gravuras em livros infantis, dentre outras coisas, mas o aprendizado não se limita ao básico, depois de algum tempo você já estava falando. Então pensa assim, por que uma criança aos 5 anos de idade já está se comunicando, mas um adulto que passa 1 ano fazendo um curso de idiomas não sabe falar nem um bom dia?

A única forma de se aprender algo rápido é estando emocionalmente envolvido com a experiência, Einstein incentivava o filho de 11 anos a tocar as músicas que gostava, mesmo durante as aulas de piano. Ao tocar o que gostava, a criança se sentia mais à vontade com o aprendizado, se identificava melhor com a experiência e, consequentemente, aprendia muito mais rápido do que as pessoas que não utilizam o mesmo método.

Voltando ao idioma japonês, a pressão pela sobrevivência, a parte cultural, o ambiente, as pessoas, tudo isso incentiva o indivíduo a ter um interesse maior no aprendizado do idioma, pois não é como se ele tivesse entrado pra uma escola de idiomas, aí num belo dia ele decide que não gosta mais daquilo e desiste. No exemplo do idioma japonês, em questão de poucos meses a pessoa terá uma ótima fluência no idioma e não mais precisará da ajuda de ninguém, enquanto que se ela tivesse entrado em um curso de idiomas de uma escola qualquer, ela teria de estudar pelo menos 2 anos, se dedicando, e sabemos que muitas pessoas precisam de 5 anos pra atingirem algum nível de excelência em curso de idioma.

Um outro exemplo que gosto de utilizar é o das artes marciais, quem começa a praticar uma arte marcial imaginando que na vida real as coisas são como nos filmes, essa pessoa estaria melhor aprendendo jardinagem, desculpe a sinceridade. Não há espaço para coreografias no mundo real.

Brigas de rua, por exemplo, duram uma questão de segundos e pode-se acontecer de tudo, até mesmo assassinato. Não é à toa que todo instrutor de arte marcial/defesa pessoal sério incentiva seus alunos a evitarem atritos na rua ou em qualquer ambiente que favoreça uma confrontação física.
Outra coisa, quantos exemplos já vi, de caras que eram altamente experientes em Jiu Jitsu brasileiro, mas ainda assim apanharam para praticantes de Wrestling que muitas vezes eram iniciantes. Este indivíduo, por exemplo, 7 anos de BJJ (jiu jitsu brasileiro), foi derrotado por um iniciante do Wrestling:


O que eu acho mais interessante é a humildade que o cara tem pra falar dos erros e formas de sobressai-los (mesmo tendo 7 anos de experiência), coisa que não é muito comum entre os praticantes do Jiu Jitsu brasileiro, que em muitos casos costumam ter um ego do tamanho de uma montanha (verdade seja dita), tanto que muitos ainda falam na família Gracie, "somos uma família nessa academia", família é pai e mãe, filhos e esposa, no máximo alguns parentes e amigos de longa data, a galera do treino não é sua família e a arte marcial que você treina não é a sua vida, por mais admirável que ela seja de um ponto de vista filosófico. Um outro exemplo, meio recente até, foi o mestre de Tai Chi Chuan que perdeu um combate pra um lutador de MMA, em questão de segundos. E não, eu não estou falando isso em tom de ofensa, é só que.... você que pode estar ofendido com isso, você se lembra que esse artigo é sobre aprendizado, certo? 

Dessa forma, aqui temos também um outro aspecto a ressaltar: o realismo.

Tudo na vida deve ser encarado com uma ótica realista. Um floreio numa arte marcial pode ser tão letal para a integridade de quem o pratica, do que uma sequência de golpes desengonçados, mas que funciona. Você nunca deve fazer algo, seja lá o que for, só por que é algo que todo mundo faz e acha bonito fazer de tal forma, e isso vale pra qualquer coisa que for fazer. Tenha discernimento próprio.

O método aqui ensinado pode ser utilizado para se aprender qualquer coisa mais rápido e melhor, e até para aplicar de forma mais eficiente, você apenas precisa saber adaptá-lo ao seu contexto.

Bom, é isso aí. Quem tiver gostado do artigo, por favor, comente e compartilhe. Quem não tiver gostado, pode comentar até xingando se quiser, mas lembra de compartilhar, viu? kkkkkkkkk